Coleções Biológicas


As coleções biológicas de entomofauna, ictiofaunaherpetofauna, mastofauna, avifauna e herbário da Fundação Universidade Federal de Rondônia foram instituídas pela Portaria nº 566/GR, de 19/08/2009 e vinculadas ao Departamento de Biologia. Elas representam fontes permanentes de pesquisa, extensão e ensino, de modo a compor a infraestrutura básica de suporte para construção e  desenvolvimento  do conhecimento científico.

A missão é prover a divulgação das principais informações científicas sobre as coleções zoológica e botânica disponíveis em nossa região.

Atualmente conta com prédio que abriga as coleções de grupos zoológicos e botânicos, bem como os laboratórios integrados, proveniente de investimentos realizados pela Santo Antônio Energia, empresa responsável pela implantação da Usina Hidrelétrica Santo Antônio.

 

Entomofauna

Com 1.500 espécies catalogadas a coleção de entomofauna visa manter representantes da biodiversidade do estado de Rondônia em condições ex-situ, fornecendo informações à manutenção de bancos de dados de biodiversidade e subsidiando pesquisas em sistemática, biogeografia, evolução e ecologia. Conta com uma sala de 18 m2 para abrigar o material que se encontra alfinetados e em meio líquido.

Curador: Maria Aurea Pinheiro de Almeida Silveira

E-mail: aurea@unir.br

Telefone: (69)2182-2161

Homepage:em construção

 

Ictiofauna

O material da coleção de ictiofauna permitirá que mais de 250.000 exemplares sejam alocados gradualmente nesta coleção. Atualmente, 10.400 lotes estão tombados e distribuídos em 800 espécies coletadas desde o rio Guaporé (MT), passando pelas corredeiras do rio Madeira (RO), até a foz (AM), constituindo-se em uma das regiões mais bem amostradas na Amazônia.

A infraestrutura para abrigar a coleção contempla sala de 230 m2 e uma antessala com 13m2com condições de luminosidade e temperatura adequadas ao armazenamento seguro de todo o material ictiológico, mantido em etanol 70%. Com relação a coleção úmida, esta receberá cerca de 100 estantes de metal já adquiridas pelo laboratório para organização dos lotes, além de cerca de 25 tambores para espécimes de grande porte.

É importante ressaltar que a coleção tem tido um papel importante na descrição de novas espécies de peixes e conta com o depósito de dois parátipos, sendo de uma espécie descrita em 2011, Scorpiodoras liophysus (UFRO-I 3471), e de outra espécie em processo de descrição, Brachyhypopomus sp. n. (UFRO-I 7928). Em complemento, esta coleção compõe uma das mais completas referências aos peixes bentônicos de calha e possui exemplares de táxons raros em coleções, muitas vezes novos, como Potamotrygonidae, Aspredinidae (Xyliphius melanopterusAmaralia sp., espécimes de possível novo gênero), Characidae (Amazonspinther dalmataMicroschemobrycon guaporensis, espécies novas de Moenkhausia,Hemigrammus), Loricariidae (LamontichthysHemiancistrus), Gymnotiformes (Archolaemus eBrachyhypopomus), Lepidoserinidae (Lepidosiren paradoxa) e de peixes subterrâneos (Phreatobius).

No que diz respeito a coleção de tecidos – ictiofauna, esta conta com sala de 17 m2, que receberá todos os tecidos de peixes que são coletados no rio Madeira e armazenados em freezers. Esta coleção receberá imediatamente dois freezers com mais de 10.700 tecidos catalogados de pelo menos 500 espécies de peixes do rio Madeira. Cerca de 2000 tecidos incorporarão esta coleção em curto prazo. A coleção de tecidos receberá um sistema de curadoria própria, mas altamente sinergética com os demais laboratórios, especialmente com a coleção científica de peixes (úmida e seca). A manutenção de uma coleção de tecidos é crucial para subsidiar e estimular pesquisas nas áreas de genética.

Curadora: Dra. Carolina Rodrigues da Costa Doria

E-mail: carolinarcdoria@unir.br

 

Herpetofauna

Área geográfica representada, pelo fato de a CRHRO ser muito recente, ela ainda é pouco representativa em termos geográficos, sendo mais de 90% de seu acervo advindo do Município de Porto Velho, principalmente da Área de Influência Direta (e AII) da UHE Santo Antônio.

No que diz respeito ao estado atual de catalogação,atualmente somam-se cerca de 3.087 espécimes depositados na CRHRO divididos em duas Classes e três Ordens, sendo estas: ordem Squamata, subdividida nas Subordens Ophidia e Lacertília; ordem Anura e ordem Gymnophiona. Já foram catalogadas 40 famílias e cerca de 130 espécies.

Quanto à diversidade sistemática do acervo, a Classe Amphibia está abrangida por 1612 espécimes de 17 famílias, enquanto a Reptilia por 1235 espécimes de 22 famílias. A Classe Reptilia está representada por três ordens: Squamata (1229 espécimes em 18 famílias), subdividida nas Subordens Ophidia (serpentes) e Lacertilia (lagartos); a ordem Crocodylia está representada apenas por um espécime e a ordem Testudinata por oito espécimes de três famílias; A Classe Amphibia está representada na Coleção por três ordens: Anura (1597 espécimes, 14 famílias) e ordem Gymnophiona (14 espécimes e 2 famílias), Caudata (01 espécime de uma família). 

Há algumas espécies relativamente raras com representatividade significante na Coleção, como: Phyzelaphryne miriamae, Potomotyphlus kaupii, Cochranela midas, Bolitoglossa sp., Apostolepsis quinquelineata, Bothrops brazili, Bothriopsis bilineata, Bachia dorbignyi, Uracentron azureum guentherii. Amphisbaena miringoera e Amphisbena cunhai.
 A lista de espécies catalogadas e disponível online no Species Link está desatualizada por problemas técnicos que estão sendo resolvidos. Atualmente a CRHO tenha mais de 70% de seus espécimes com dados de coordenadas precisas e algumas com coordenadas da localidade.

Curador: Profª Drª Mariluce Rezende Mecias

E-mail: messias.malu@gmail.com

Tel: (69)

http:// em construção

 

Mastofauna

Com 674 espécimes tombados em outubro de 2013, abrange uma área geográfica de praticamente todo o estado, envolvendo cinco das seis zonas zoogeográficas  reconhecidas para Rondônia pela 2ª Aproximação Sócio-Ecológica-Econômica do Estado (RONDÔNIA, 2002): a ZZ1 (margem esquerda do rio Madeira, interflúvio Madeira/Purus), a ZZ 5 (região central de Rondônia, delimitada pelos rios Madeira a oeste, Ji-Paraná a leste e Serra dos Pacaás Novos ao sul), ZZ 3 (que corresponde a região dos cerrados   do sudeste do Estado - zona bem delimitada com presença de fauna de áreas abertas, recebendo influência do Brasil Central - com coletas realizadas nos municípios de Pimenta Bueno e Cabixi) e a ZZ2 (Corresponde a planície do Guaporé e suas áreas periodicamente alagadas, com coletas em área próxima à REBIO do Guaporé) e a ZZ6 – Corresponde a região a leste do Rio Machado).

Os espécimes depositados na coleção abrangem 10 (dez) ordens, 33 famílias e 104 táxons. Primates (23,6%), Rodentia (30%) e Didelphimorphia (15%) são as ordens com maior número de espécies representadas na coleção. Destaca-se o importante acervo de primatas de médio e grande porte, 3º mais representativo deste grupo na Amazônia. Dentre as famílias com maior número de espécimes depositados, se destacam Didelphidae, Cuniculidae (com a espécieCuniculus paca - paca)Dasypodidae (com muitos tatus-galinhas depositados - Dasypus novemcintus), e família Echimyidae (com muitos roedores do gênero Proechimys sp., cuja identificação taxonômica está sendo realizada através de análises gênicas).  As ordens representadas são: Rodentia, Didelphimorphia, Pilosa, Cingulata, Cetartiodactyla, Carnivora, Lagomorpha, Primates, Chiroptera e Perissodactyla.

Curador: Profª Drª Mariluce Rezende Mecias

E-mail: messias.malu@gmail.com

Tel: (69)

http:// em construção

 

Avifauna

Com 233 espécimes tombados, a maioria advinda do trabalho de resgate de animais silvestres da UHE Santo Antônio,  dispõem-se de um valioso exemplar de harpia ou gavião-real, maior espécie de ave de rapina da Amazônia ameaçada de extinção.

Curador: Profª Drª Mariluce Rezende Mecias

E-mail: messias.malu@gmail.com

Endereço: Campus José Ribeiro Filho, BR 364, Km 9,5 Prédio das Coleções Zoológicas e Laboratórios Integrados

Tel: (69)

http:// em construção

 

Herbário

Herbário Rondoniense “João Geraldo Kuhlmann” (RON) da Fundação Universidade Federal de Rondônia foi criado em 2009com investimentos do Fundo de Financiamento de Estudos de Projetos e Programas – FINEP. Ele está vinculado às linhas de pesquisa em biologia vegetal e sistemática vegetal do Grupo de Pesquisa Estudos da Biodiversidade da Amazônia Sul-Ocidental. Sua finalidade é o registro dariqueza florística do estado de Rondônia, formação de recursos humanos e o intercâmbio com outros herbários. Atualmente conta com mais de 10.000 amostras, sendo todo o acervo disponível online com fotos.

Curador: Prof. MSc. Narcisio da Costa Bigio

E-mail: narcisio@unir.br

Endereço: Campus José Ribeiro Filho, BR 364, Km 9,5 Bloco 1L

Tel: (69) 2182-2201

http://www.ron.unir.br/